Tag Archives: psicanálise

Imagine que dentro da sua cabeça existe um “bonequinho”

Ele fica em uma sala, sem portas e janelas, apenas observando uma pequena lâmpada e um grande botão vermelho. 

O bonequinho é responsável por acionar esse botão vermelho quando a lâmpada acender.  Uma simples tarefa. A lâmpada acendeu, O bonequinho aciona o botão vermelho.

Esse botão vermelho é responsável por uma descarga de coquetel de hormônios como a adrenalina, por exemplo. Essa luz acende frente a um perigo eminente. 

Quando falo em perigo eminente, são aqueles que são um risco a sua vida.

O bonequinho é responsável pela  liberação dessa descarga de hormônios para que você, esteja em alerta e pronto para a ação. O que chamamos MECANISMO DE DEFESA, ataque ou fuga.

Vamos a um exemplo para entender os conceitos?

Você desde pequeno teve medo de cobras. Em uma pequena trilha em meio a natureza, você viu uma cobra próximo a você. Se esquiva para mais longe, com batimentos cardíacos acelerados e respiração cada vez mais forte e ofegante.

Agora, o que aconteceu lá na “sala de comando” do bonequinho?

Quando você constatou a cobra, a lâmpada acendeu. Rapidamente o bonequinho apertou seu botão vermelho de pânico e os hormônios para essas emoções foram injetadas em seu corpo para uma atitude rápida. 

O bonequinho na sua cabeça não sabe o que é uma cobra, ele não tem ciência do significado daquele sentimento e qual nível de ação deve ser realizada. Ou seja, ele só quer te salvar de um perigo, mas não sabe qual é o grau de periculosidade real.

E se a situação fosse diferente?

Se você visse uma cobra em um zoológico. A lâmpada ainda iria acender e o bonequinho iria apertar o botão vermelho de pânico.

Isso acontece quando a pessoa está passando por um transtorno mental como o transtorno de ansiedade generalizada por ex.

O bonequinho que não sabe o significado de cada momento em sua vida, está apertando o botão de pânico desenfreadamente. Ele não tem culpa, ele está tentando te salvar.Mas esse sistema já não funciona mais. Pois, o perigo é algo comum que estamos enfrentando hoje em dia. Já são anos de uma pandemia e outros perigos. 

Precisamos então de uma atualização da lâmpada, instalando um para um painel de intensidade e do botão, para uma espécie de botão uma seringa.

No mesmo exemplo, ao ver uma cobra no zoológico, você racionalizasse o problema e enviasse uma escala de periculosidade para o bonequinho? Bonequinho, este é um perigo número 3

Ao invés de acionar um botão que antes enviava uma mensagem ao seu corpo de perigo número 10, o bonequinho aperta no botão seringa apenas uma quantidade de carga número 3

A analogia foi feita para realmente explicar uma situação que acontece em seu cérebro. Então, que tal você conversar com o seu bonequinho e realmente instalar essa atualização em suas ações emocionais e racionalizar qual o perigo que você está enfrentando e quanto realmente precisa ser injetado de hormônio para o real perigo?

 Isso não é fácil, mas com treinamento emocional é possível cada vez mais Racionalizar o seu pensamento.  Isso não só proporcionará uma vida com menos estresse, como também irá economizar suas energias vitais. 

Afinal, devemos correr de uma cobra, mas se o perigo for a preocupação com uma conta a pagar, teremos que ter outras atitudes recebendo outros níveis hormonais com objetivos diferentes.

Como uma pessoa considerada “inteligente” pode chegar a ações impulsivas e agressivas?

Hoje, neste texto sobre a ansiedade em relacionamentos abusivos, vou lhe contar que a ansiedade disfuncional somada à falta de ponderação pode chegar/culminar em um relacionamento abusivo (neste exemplo, amoroso). Se você quiser entender melhor sobre isso, continue lendo este texto até o final.


Para uma análise completa da ansiedade em relacionamentos, é necessário entender alguns conceitos e aspectos do comportamento e da mente humana que são estudados pela psicologia.

Além da Cognitiva Comportamental, outra das teorias que mais utilizo é a Psicanalítica, segundo a qual a consciência humana é dividida em 3 conceitos: Id, Ego e Superego. De maneira simples, se os seus pensamentos fossem divididos de 3 formas seriam as seguintes:

  • ID: pensamento ou ação instintiva; são aqueles momentos em que não pensamos, apenas agimos;
  • EGO: seu eu e sua consciência, que equilibra os impulsos do ID;
  • SUPEREGO: pensamento ou ação imposta; são valores morais e culturais que são formados ao longo de nossa vida.
De forma bem simples: O ID é aquele “diabinho” e o SUPEREGO é aquele “anjinho” que vemos em desenhos animados

Pessoas não ponderadas, ou seja, que agem por instinto/impulso e sem pensar estão com o ID aflorado, agindo como muitos dizem de forma “animal”. Porém, como uma pessoa “inteligente” chega a ter uma atitude instintiva e até mesmo agressiva?

Prejuízo no Superego!

Fatores como ingestão de álcool ou drogas, ambiente familiar instável na infância, ansiedade disfuncional e outros transtornos mentais podem causar essa falta de mediação em atitudes cotidianas e relacionamentos. Assim, pessoas com atitudes agressivas ou intuitivas podem estar passando por alguns dos fatores/situações relacionados.

Percebe-se então que transtornos mentais como a ansiedade disfuncional interferem na mediação entre o ID e o Superego, da consciência humana. Essa mediação pode e deve ser controlada!

E a relação da ansiedade com os relacionamentos?

Entendendo que uma pessoa com ansiedade pode estar com seu ID aflorado, agora você pode compreender melhor a relação da ansiedade em relacionamentos. Você com certeza já leu o conteúdo sobre Ansiedade em um dos meus posts anteriores, mas resumindo:

  • A Ansiedade Funcional: é aquela que te motiva a ações, com iniciativa e pró atividade;
  • A Ansiedade Disfuncional: é aquela que te tira de uma organização mental,  “tira do eixo” e do equilíbrio entre ID e Superego.

Possivelmente, a ansiedade disfuncional seja o “estopimpara uma pessoa tomar atitudes extremas para si ou pessoas ao seu redor. Na ansiedade disfuncional é preciso apenas uma “faísca” para uma ação impulsiva, o que pode ser até um pensamento.

Para controlar esses impulsos, é possível realizar um tratamento para a educação/desenvolvimento emocional, daqueles que se encontram na situação do SUPEREGO prejudicado.

No tratamento da saúde mental (por meio da orientação psicológica e psicoterapia, uma pessoa pode encontrar diversos caminhos para sair desta situação em que se encontra, sendo ela a pessoa ansiosa ou estando em um relacionamento com uma pessoa  ansiosa . Analisando suas ações sob o enfoque da Terapia Cognitiva Comportamental é possível alcançar a inteligência emocional, para equilíbrio de seu ID e SUPEREGO. Isso mesmo, é possível juntar as teorias para se obter melhores resultados. 

Lembrando que nenhuma ação violenta, seja ela verbal ou física pode ser justificada pelos transtornos mentais.  Os transtornos devem ser tratados e controlados. Como organizar tudo isso?! Orientação Psicológica e Terapia.