O Efeito da Música na Saúde Mental

A música está tão presente na vida humana que a maioria das pessoas possui trilha sonora específica para cada momento vivenciado: desde as músicas cantadas para bebês e crianças, passando por aquelas da adolescência, as músicas dos casais apaixonados, as músicas dos momentos de tristeza, as músicas das comemorações, da formatura, do casamento, das despedidas, dos reencontros…

Infinitas são as emoções despertadas pelo universo sonoro-musical. Mas como nossa saúde mental pode beneficiar-se da música? Simples: ao cantar, expressamos conteúdos e emoções que nosso mundo interno às vezes nem consegue nomear. Aliviamos, esvaziamos, contemos e resinificamos dores, angústias, medos, paixões e alegrias.

A música integra o externo e o interno do ser humano, pois ela é muito mais do que uma opção de entretenimento. A música pode ajudar de inúmeras formas, e já é comprovado que canções mais tranquilas têm o mesmo efeito de uma sessão de massagem e que podem gerar um estado meditativo, alterando a velocidade das ondas cerebrais e, portanto, também aliviando sintomas de depressão, tensão pré-menstrual e distúrbios de comportamento.

A música também pode fortalecer as conexões sociais, seja quando você compartilhar suas playlists favoritas com amigos ou conhecer pessoas novas durante a fila de um show. Além de ajudá-lo a se conectar com você mesmo, a música conecta você ao mundo.

Entregar-se ao cantar – mesmo que no chuveiro – ajuda a equilibrar as tensões da vida, ajuda a contar para nós mesmos nossas histórias mais significativas. E tudo isso é promover saúde, é fortalecer-se diante das dificuldades e permitir-se interagir com quem somos lá no fundo.